retalhos

Thursday, April 14, 2005

Distrair

desktop

Mais uma vez é assim, sentei-me no banco do estirador à 5 horas e já inventei 50 coisas diferentes para fazer....para me entreter, distrair e confundir a minha mente, alargar e fazer correr esta vontade de imaginar, criar e excitar esta vontade de sonhar...de viver!
Espalhei mil folhas pelo estirador e pelo chão fora, desarrumei e arrumei quando não sabia em que acreditar; meditei, embebida nos tons suaves, nos ritmos e claves das minhas cassetes;
risquei, traços e linhas, caminhos....e estava sempre lá, num sitio qualquer, sempre mais perto!

A tinta corria, gastava-se naquelas folhas, mas chegava sempre em verso à minha cabeça, excedida pelo sentimento de quem esquece, vencida no amor que a loucura tece....
Os meus olhos não pensam, só ouvem o que a cabeça cria, vivem da imaginação...por tudo isso as linhas podem ser sempre letras...muitas letras....
....os olhos vêem o que sente o coração e na minha caneta já sinto forte o bater da pulsação!

Wednesday, April 13, 2005

Baco no Comboio

Hoje, mais tarde que o habitual, faço novamente estes 33 minutos de comboio...lá fora já anoiteceu, as pessoas que se sentam ao meu lado já dormem, e aqui estou eu, a escrever, como sempre a pensar, só eu e as estrelas que vejo através da janela.
O barulho é quase nenhum e confunde-se com os muitos roncares que se ouvem.... algumas pessoas falam para vencer o cansaço do dia, contam histórias de colegas, lamentam o trabalho que as espera ainda em casa.
- Mãe...Mãe...- grita interruptamente um miúdo na tentativa de chamar a atenção. Mas a mãe, deixou já a cabeça tombar para o lado, e embalada pelo ritmo do comboio faz os possíveis para não o ouvir, e fecha os olhos cansada.
Há também muitas pessoas de pé, balançam-se de um lado para o outro ao mesmo tempo. Penduradas pelo braço que as segura ao banco vizinho, alertam-se estes muitos olhos à procura de um banco vazio, cada vez que o comboio ameaça abrandar. Só que esses, os que estão sentados - como eu, tiveram mais sorte e a posição deixou-os dormir.
Mais uma vez escrevo, mas desta vez, para vencer o bafo horrível que nasce do homem que se sentou ao meu lado....um Deus Baco dos Comboios!!...