retalhos

Wednesday, May 30, 2007



O Diogo já nasceu! E a melhor sensação do mundo é olhar para aquele que cresceu dentro de nós... amo-o desde que sei que existe, e só mesmo o amor nos faz passar por horas de dores tão grandes...
Apesar de tudo o que tinha ouvido e de me ter preparado mentalmente... senti-me completamente indefesa e estranha naquela que foi a entrada nesta nova fase... deixei-me levar pela intuição e pela esperança.. rezei no meio de lágrimas de dor e felicidade... e ele nasceu! Em segundos tinha aquele ser ensaguentado e pequenino no meu peito, e mais nada importava... só ele... era meu, e já ali estava... tem 49 cm e 3,450Kg!

Tuesday, May 22, 2007



Eu só quero que o bebé nasça, mas parece que só descanso quando todas estas burocracias acabarem...
Segunda-feira estive na médica, horas à espera de um CTG, feito meio à pressa e uma conversa meio rápida, depois de ter estado imenso tempo na sala de espera a achar que todas as cinco pessoas que entraram antes de mim me estavam a passar à frente. Quando saí, já me esperavam as imensas filas de transito... não imaginam o que custa estar tanto tempo sentada com esta barriga.. lá fui paciente e decidida a tratar de tudo - desta vez do papel da baixa, no centro de saúde de Cascais, onde afinal, nem havia registo que eu existisse... pronto, tudo bem, nada como começar do inicio! (tenho a sorte de me verem neste estado e serem mais simpáticos...) volto amanha e trato de tudo na secretaria...
Hoje lá fui, contente e alegre com a minha "pequenina" barriga até cascais.... muitas senhas e esperas depois, fui atendida por aquela que afinal sempre foi a minha médica de familia... já tenho o papel... mas sinto-me de rastos... não era suposto estar em casa a descansar?.. no fim de tanta correria sinto que nada disto faz sentido... estou grávida .. e acho que devia ter direito a parar....

Saturday, May 05, 2007



Amanhã é dia da mãe.... mas não há dia em que caiba a magia que tenho sentido nestes 9 meses...



teem-me faltado as letras... apesar da muita vontade de escrever. o tempo que ameaça ser cada vez menos, antecipou-se às tarefas que ainda não chegaram, e tudo junto, preenche este lugar mágico que antes pertencia às ideias...

Faço-as mecanicamente, uma a uma, e com gosto... não deixo no entanto de me interrogar, como e onde foi decidido que seria assim... eu e eu.... sem perguntas.. sem partilha... como uma ginástica diária, a que não posso faltar, porque ao faze-las, arrumo-me a mim mesma... aperfeiço-me e transpiro esta raiva que de outra forma traria consequências... se por um lado me fazem esquecer as ausências, por outro deixam-me sedenta de mais vida...

essa...sei que a trago comigo diáriamente... e desejo que a magia que traz, me devolva as palavras que me teem faltado...